Buscar
  • Dr. Guilherme Holanda

Psoríase

  • O que é psoríase?

A psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele e das articulações, imunomediada, de base genética com várias apresentações clínicas e que costuma apresentar recorrência.

Acomete igualmente homens e mulheres, sendo dermatose frequente na prática clínica. No Brasil, não existem estudos sobre a sua prevalência acreditando-se que 1% da população seja acometida.

A doença pode ocorrer em qualquer idade, com picos de incidência na segunda e na quinta décadas de vida. O início antes dos quinze anos correlaciona-se, frequentemente, a casos familiares


  • Como a psoríase se manifesta na pele?

A psoríase se manifesta, na maioria das vezes, por placas eritematoescamosas, bem delimitadas, ocasionalmente pruriginosas, em áreas de traumas constantes na pele – cotovelos, joelhos, região prétibial, couro cabeludo e região sacra.

O tamanho e o número das placas são variáveis, podendo ocorrer acometimento de toda a pele. Em 50% a 80% dos casos, são identificadas alterações nas unhas, especialmente, descolamento da parte final das unhas e pequenas depressões puntiformes.





Outros padrões clínicos que a doença pode apresentar são:

- Psoríase invertida: lesões localizadas em áreas intertriginosas, onde predomina o eritema.

- Seboríase:quando ocorre em áreas seborreicas. Psoríase em gotas: pequenas pápulas eritematoescamosas, predominantes no tronco e raiz dos membros, ocorrem, geralmente, em adolescentes ou adultos jovens, muitas vezes, após quadros infecciosos.

- Psoríase eritrodérmica: acometimento de mais de 90% da superfície corporal, de caráter subagudo ou crônico e comprometimento do estado geral. Pode ocorrer por piora da psoríase em placas ou pustulosa generalizada e, raramente, como manifestação inicial da doença.

- Psoríase pustulosa

ü generalizada (von Zumbusch): quadro generalizado de pústulas estéreis, com febre e comprometimento do estado geral. Na maioria das vezes, apresenta-se em doente com psoríase em placas, após exposição a fatores de piora: hipocalcemia, interrupção de corticoterapia sistêmica, infecção, terapia tópica intempestiva. Dado o comprometimento de vários órgãos, pela liberação de mediadores inflamatórios em grande quantidade, essa apresentação da psoríase pode levar a quadros de choque, septicemia e morte.

ü generalizada na gravidez: em gestantes, de novo ou como evolução de psoríase em placa, com ou sem hipocalcemia

ü palmoplantar: quadro crônico, limitado às palmas e/ou plantas, de pústulas estéreis que se manifesta em adultos, mais habitualmente, no sexo feminino

- Psoríase artropática: a artrite soronegativa, encontrada em 10 a 40% dos doentes de psoríase, geralmente afetando as articulações das mãos, pés e, mais raramente, os tornozelos e os joelhos (mono ou oligoartrite assimétrica). Em menor número de casos, a artropatia pode se manifestar como poliartrite simétrica (a artrite reumatoide-símile), a espondiloartrite ou a artrite mutilante.


  • Quais os fatores desencadeantes/agravantes da psoríase?

- Trauma

- Luz solar: o sol, em geral, melhora a psoríase. Entretanto, ela pode ser agravada via fenômeno de Koebner, se houver exposição solar aguda e intensa

- Infecção

- Medicamentos

- Fatores psicogênicos e emocionais

- Tabagismo

- Álcool

- Fatores endócrinos

  • Como é feito o diagnóstico de psoríase?

É baseado na história, quadro clínico e, nos quadros menos típicos, no exame histopatológico.

O diagnóstico de artrite psoriásica pode ser difícil, pois necessita de estudo radiológico e da interação com os reumatologistas.

  • Qual impacto da psoríase na qualidade de vida do paciente?

Pacientes com psoríase apresentam comprometimento físico e emocional comparável à doença cardíaca, depressão, hipertensão artrite, câncer ou diabetes e apresentam um maior índice de suicídio, quadros depressivos e consumo de álcool do que a população geral, o que torna importante o tratamento e seguimento com o dermatologista.

  • Existem outros problemas de saúde relacionados a psoríase?

Sim! Existem vários problemas de saúde relacionado com a psoríase como: tabagismo, alcoolismo, ansiedade, depressão, doenças cardiovasculares, doença inflamatória intestinal, uveíte, artrite psoriásica, doença gordurosa do fígado não alcoólica e síndrome metabólica (dislipidemia, obesidade, hipertensão e resistência insulina)

  • Como é feito o tratamento da psoríase?

O tratamento da psoríase depende da forma clínica da doença, da gravidade e extensão, da idade, sexo, escolaridade e das condições do paciente, em relação à saúde geral e situação socioeconômica. Também deve ser levado em conta o que a psoríase representa no comprometimento da qualidade de vida do doente. Às vezes, quadros clínicos mais localizados podem ser responsáveis por comprometer vários aspectos da vida do paciente, se situados, por exemplo, nas mãos, nos genitais, na face.

O tratamento deve ser individualizado para cada doente.Como regra, deve-se esclarecer ao doente a não contagiosidade, além de norteá-lo sobre a possibilidade de controle, os esforços na pesquisa de novos tratamentos, o benefício da exposição solar, o prejuízo da manipulação e a escoriação das lesões.

Existem tratamento tópicos com cremes e pomadas, tratamento sistêmicos com comprimidos, fototerapia e até uso de imunobiológicos em casos selecionados. A melhor esquema terapêutico deve ser indicado e conversado com seu dermatologista.


  • Referências:

- Maia, Cláudia Pires Amaral. Consenso brasileiro de psoríase 2012: guias de avaliação e tratamento. São Paulo; Sociedade Brasileira de Dermatologia; 2012. 172 p

Este texto complementa as informações já explanadas na consulta, aprofundando o conhecimento neste tema e tem como objetivo ajudar a esclarecer de maneira mais completa e exclusiva, detalhes e curiosidades sobre o tema através de perguntas para auxiliar no entendimento desta condição.

Qualquer dúvida poderá ser abordada na próxima consulta.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Skin Care