Buscar
  • Dr. Guilherme Holanda

Dermatite Seborreica

Atualizado: 5 de Set de 2020

  • O que é dermatite seborreica?

A dermatite seborreica é uma doença inflamatória crônica comum e recorrente, que acomete o couro cabeludo e áreas seborreicas da face. Possui dois picos de incidência: um no recém-nascido, até os três meses de vida, e outro na fase adulta, aproximadamente entre os 30 e 60 anos de idade

  • O que causa a dermatite seborreica?

Ainda não está perfeitamente definida a fisiopatologia exata da dermatite seborreica. Porém, hoje a regra é a associação da doença à presença do fungo Malassezia sp. na pele dos indivíduos acometidos. Sua participação foi sugerida inclusive pelo fato de a doença responder ao tratamento com antifúngicos.

Alguns estudos defenderam que o desenvolvimento da dermatite seborreica depende de três fatores: produção de sebo, metabolismo da Malassezia e susceptibilidade do indivíduo.


  • Quais as características clínicas (sintomas) da dermatite seborreica?

A dermatite seborreica possui características clínicas que dependem da faixa etária acometida: na forma pediátrica é autolimitada, enquanto no adulto, a doença tem curso crônico e recorrente.

As lesões de pele são caracterizadas como placas avermelhadas e escamativas de graus variáveis quanto a intensidade e extensão.

  • Como a dermatite seborreica ocorre na infância?

Ela ocorre com maior prevalência nos três primeiros meses de vida, sendo a escamação do couro cabeludo a forma mais comum. Caracteriza-se, logo após o nascimento, pelo surgimento de escamas amareladas, aderentes e de extensão variável. Pode também ocorrer na face e nas dobras, tais como regiões retroauriculares, pescoço, axilas e região inguinal.

  • E no adulto? Como as lesões podem aparecer?

No adulto é uma dermatose crônica, de curso recorrente, que varia desde um eritema leve a moderado até lesões papulosas, exsudativas e/ou escamativas, com períodos de exarcebação relacionados ao estresse ou privação de sono.

As lesões de pele são placas ou manchas finas, de limites bem definidos, que podem assumir colorações rosa, amarela clara ou eritematosa, com escamas finas, brancas e secas ou até amarelas úmidas e oleosas. A presença de coceira nas lesões pode estar presente.

As lesões têm predileção pelas áreas de elevada produção de sebo, como o couro cabeludo, face, orelhas, atrás das orelhas, tórax, pálpebras e dobras.

As áreas afetadas e a prevalência correspondente de cada uma são: face (87,7%), couro cabeludo (70,3%), tórax (26,8%), pernas (2,3%), braços (1,3%) e outros locais (5,4%), como as dobras.

No couro cabeludo as lesões variam desde uma leve escamação até crostas amareladas bem aderidas ao couro cabeludo e aos fios, podendo ou não causar áreas de queda de cabelo.

No face, é característico o envolvimento a região das sobrancelhas, a áreas entre as sobrancelhas, o sulco da asa do nariz e o sulco entre a nariz e boca. No homem, é muito comum o envolvimento da área da barba.


A seguir, segue algumas fotos exemplificando como a doença se manifesta.

As fotos foram tiradas de um artigo científico publicado com a devida referência citada abaixo:

Sampaio AL, Mameri AC, Vargas TJ, Ramos-e-Silva M, Nunes AP, Carneiro SC. Seborrheic dermatitis.An Bras Dermatol. 2011;86(6):1061-1074. doi:10.1590/s0365-05962011000600002









Nas dobras (axilas, umbigo, regiões inguinal, inframamária e anogenital) as lesões adquirem aparência úmida, macerada, com vermelhidão na base e ao redor.

  • Qual o tratamento?

Por se tratar de uma doença inflamatória crônica, em resposta a uma provável presença de um fungo na pele e do seu metabolismo através da utilização dos lipídios da pele, o objetivo do tratamento consiste no controle da inflamação, da proliferação do micro-organismo e da oleosidade.

Diversas classes de medicamentos são utilizadas, de maneira que é vasto o arsenal terapêutico para controle da dermatite seborreica. A primeira regra é esclarecer os pacientes sobre o caráter crônico recidivante da doença. Assim, o indivíduo, ciente do curso recorrente da doença, demonstra maior confiança e aderência ao tratamento prescrito pelo seu dermatologista.

É muito comum pacientes utilizarem cremes e pomadas de corticoide porque tem uma melhora rápida das lesões, porém as lesões acabam voltando, conforme descrito anteriormente e o uso recorrente desses cremes de corticoide deve ser evitado pelo risco de efeitos adversos.

Importante uma consulta com seu dermatologista para seja conversado sobre o melhor plano terapêutico para diminuir o risco dessa recorrência.


  • Referências:

as TJ, Ramos-e-Silva M, Nunes AP, Carneiro SC. Seborrheic dermatitis.An Bras Dermatol. 2011;86(6):1061-1074. doi:10.1590/s0365-05962011000600002

Este texto complementa as informações já explanadas na consulta, aprofundando o conhecimento neste tema e tem como objetivo ajudar a esclarecer de maneira mais completa e exclusiva, detalhes e curiosidades sobre o tema através de perguntas para auxiliar no entendimento desta condição.

Qualquer dúvida poderá ser abordada na próxima consulta.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Skin Care